sábado, 10 de janeiro de 2009

Elas exigem e montadoras apostam nos "carros-mulherzinha"

As mulheres invadiram um universo que antes era dominado pelos homens. A decisão de comprar um carro no Brasil, segundo as principais montadoras, depende da aprovação feminina em 80% dos casos. Quando não compram o carro elas mesmas, decidem sobre as novas aquisições deles. "Mulher compra o carro de dentro para fora; já o homem, de fora para dentro", afirma Marcelo Olival, gerente de propaganda e marketing da Volkswagen do Brasil. Pensando nisso, as empresas colocaram como prioridade, "além do desempenho das máquinas", a estética, com muito conforto e porta-objetos - muitos porta-objetos.

Mulheres, diz Olival, não gostam de veículos com o estereótipo de carro feminino. E, após, chegar a essa conclusão, as montadoras adaptaram os automóveis "masculinos" para o gosto das compradoras.

A Renault foi uma das primeiras a perceber esse fenômeno e lançou, em 2002 (e novamente em 2004), o Clio Sedan O Boticário, com uma proposta de "carro voltado para a mulher moderna, exigente e, ao mesmo tempo, prática e inovadora".

A montadora colocou espelho no pára-sol do motorista e um tecido especial nos bancos, feitos especialmente para não desfiar as meias de seda, em uma parceria com a empresa paranaense de cosméticos O Boticário.

O carro não é mais comercializado, mas a Renault afirma que todos seus automóveis tentam agradar as mulheres. O tecido dos bancos continua a ser feito para não desfiar meias calças, e as maçanetas são desenhadas para que as motoristas não quebrem as unhas.

Já a Volvo foi além e, em 2004, no Salão de Genebra, apresentou um veículo desenhado por uma equipe de mulheres dispostas a mudar a maneira pelo qual os carros são desenhados - com motoristas masculinos em mente.

Entre as inovações, o conceito recebeu um dispositivo que alertava a oficina quando o carro estivesse com algum problema, indicando inclusive a falha no carro.

Além disso, o estofamento, preso com ímãs, poderia ser retirado para lavagem. E ele estava disponível em cores e texturas diferentes para combinar com a roupa da mulher.

As desenhistas também criaram um sistema de sensores que permitia ao carro ajustar automaticamente os assentos, os espelhos, a direção e os pedais. Para mulheres com rabo de cavalo, existia até uma divisão no meio do encosto para a cabeça.

Inovações femininas
De acordo com a Fiat Brasil, Palio Adventure e o Idea são os preferidos das motoristas, que correspondem a 47% dos donos desses carros. Os motivos, segundo a empresa, são espaço interno, design mais arredondado, maior conforto e segurança. Além disso, o Idea possui um segundo espelho retrovisor, para que o motorista possa observar o que ocorre no banco traseiro, caso tenha filhos. Outra novidade é a abertura do tanque de gasolina por um botão interno, porque, segundo a Fiat, as mulheres não gostam de entregar a chave do carro a frentistas nos postos de combustível.

Segundo a diretora de marketing da Citroën no Brasil, Nívea Morato, as mulheres gostam de ver os detalhes do carro, com muitos porta-objetos e espaço. "A mulher vai olhar o porta-malas, e o homem, o motor", diz Nívea.

O Picasso, ainda de acordo com Nívea, foi criado pensando nas mulheres, e traz esses atributos. O público feminino é responsável por 56% das compras do modelo. "O Picasso já foi pensado para mulher, com muitos compartimentos para guardar coisas. A posição de dirigir também é importante, elas querem carros altos, como os jipes, pois passa uma sensação de maior segurança", diz Nívea.

Carros e passarelas
O C3 é outro exemplo da preocupação com as motoristas. Sua apresentação, lembra Nívea Morato, foi feita durante o desfile de moda do São Paulo Fashion Week. "Queríamos o C3 sendo posicionado como carro da moda. Isso tem muito a ver com universo feminino".

Outro carro da montadora francesa que tem a cara da mulher é o novo C4 VTR e sua versão sedan, o Pallas. Com chegada ao País prevista para setembro, tem como grande atrativo divulgado até o momento um aromatizador, em três opções, claro, de perfumes franceses.

Na Volkswagen, afirma Marcelo Olival, as mulheres costumam preferir a linha Fox, que também engloba o esportivo Cross Fox e a perua Space Fox. Todos os carros da montadora passaram a ter espelhos no lado do motorista, assim como regulagem da altura dos bancos.

A Volks pensou, inclusive, na posição de dirigir, no tipo de tecido dos bancos, mais uma vez desenvolvido para não desfiar as meias-calças, e nas maçanetas para evitar que as unhas sejam quebradas. Nas propagandas, a empresa tenta sempre falar dos porta-objetos, altura do carro e espaço interno para atraí-las.

"Mulher compra o carro pela utilização. Beleza vai servir, mas a praticidade é muito importante. Ela não tende a ser escrava do carro como o homem é", afirma o diretor de marketing da Volks.

Na Peugeot, conforme Reinaldo Siffert, gerente de produtos da montadora no Brasil, a aceitação do público feminino ao modelo 307 foi maior que a esperada. A partir daí, a empresa francesa passou a estudar e adicionar aos automóveis detalhes que as mulheres costumam reparar mais que os homens.

Tanto o 307 quanto o 206 trazem um tecido específico, com as costuras estudadas para não danificar as roupas. A posição dos pedais também foi pensada nos pés das mulheres que, por serem menores, preferem que os pedais não estejam muito altos. Toda linha do 206 tem ajuste de altura do volante, porque, segundo Siffert, o público feminino prefere que a direção mais próxima das pernas.

Para Rodrigo Lourenço, gerente de marketing da Ford, as mulheres gostam de carros altos, que façam elas "se sentirem mais poderosas no trânsito". Esse é um dos principais motivos, segundo Lourenço, de a maioria dos EcoSports ser comprada pelo público feminino. Além disso, ganchos no porta-malas que permitem à motorista pendurar sua bolsa sem encostá-la no chão do carro são sucesso entre o público feminino.

O Ka, segundo Lourenço, também tem aumentado a participação feminina na porcentagem de vendas da montadora, principalmente "por causa do estilo e do tamanho do veículo". "O Ka é fácil de dirigir, de estacionar", afirma.

Se grupos feministas ainda lutam pela igualdade com os homens, as mulheres que amam os carros buscam cada vez mais o diferente. Elas não esquecem a vaidade, e, por isso, exigem carros com a cara delas. A indústria automobilística já percebeu o fenômeno e parou de apostar somente nos motores: a atenção está cada vez mais voltada para detalhes e elegância - e para o porta-malas, por que não?


Peugeot se surpreendeu com a aceitação do 307 pelo público feminino

Fonte: Terra

Nenhum comentário: