quinta-feira, 22 de janeiro de 2009

[Cinema] Surpresas do Amor

As festas de fim de ano sempre podem provocar disputas familiares. O Natal com a família dela e o Reveillon com os dele (ou vice-versa) e ainda a vontade de apenas ficar em casa ou ir para a praia com os amigos. Esse problema não atinge Kate (Reese Witherspoon) e Brad (Vince Vaughn). Nos três invernos em que estão juntos, os dois conseguiram aproveitar o recesso de fim de ano para viajar. Aos pais disseram que estavam indo fazer trabalho voluntário em algum canto obscuro do planeta. Tudo estava certo para uma semana em um mais um resort paradisíaco, quando São Pedro decide agir e manda uma densa neblina que cancela todos os vôos.

Enquanto o casal briga no guichê da companhia aérea, o canal de televisão local transmite ao vivo o descontentamento generalizado e coloca os dois no ar para toda a cidade de São Francisco ver, alertando os pais de que seus filhotes finalmente vão poder voltar ao ninho neste Natal. Vem daí o título original do filme: Four Christmases (quatro natais), bem melhor do que o genérico Surpresas do Amor que está sendo usado por aqui. Até porque de surpreendente o filme não tem coisa alguma.

E antes de continuar, jogo no ar uma questão que ainda não foi resolvida na minha cabeça: sabendo que a história se passa no inverno do Hemisfério Norte, não seria mais inteligente da parte dos roteiristas e do diretor vestir os atores com roupas condizentes a este clima em vez de colocá-los na tela de clichês turísticos em forma de bermudas e camisas floridas? Não sei quanto a você, mas a roupa que eu saio de casa quando estou indo viajar é a da temperatura local - e levo uma troca de roupa se vou para um local com clima completamente diferente do ponto de partida.

Enfim, depois que os dois voltam para casa e colocam seus trajes de luto começa a via sacra pelas casas dos quatro pais, que são divorciados e vivem cada um em um ponto da cidade. Primeira parada: o pai dele (Robert Duval). O código de fuga: dizer ao outro a palavra visco - o mistletoe tão característico por aquelas bandas. E ali começam a aparecer as verdades escondidas sobre o passado da cara-metade. Brat na verdade se chama Orlando, apanha muito de seus dois irmãos e é constantemente destratado pelo pai. Visco.

Na casa da mãe dela (Mary Steenburgen), Brat descobre que Kate nem sempre foi petite como é agora e também fica conhecendo alguns de seus traumas e paixões de infância. Entre mais segredos descobertos, viscos e secreções infantis, os dois percebem que não conhecem de verdade a pessoa com quem vivem há tanto tempo e não têm como continuar aquilo. Ou tem?

Além de ser uma comédia sem graça, Surpresas do Amor chega aqui fora de época - tão desnecessária quanto qualquer micareta. Isso sem contar o enorme desperdício de elenco, que ainda tem entre seus coadjuvantes Sissy Spacek, Jon Voight e Jon Favreau em papéis mais insosos do que champanhe sem bolha. O que mais dizer de um filme cuja cena de maior de dramaticidade envolve um teste de gravidez usado na boca de uma criança?

Nenhum comentário: