sábado, 10 de janeiro de 2009

Aniversariante, Fabinho aposta em Timão vencedor

Volante é o que mais vestiu a camisa do Timão no elenco atual

Fabinho está longe de ser tão badalado quanto Ronaldo, no Corinthians. Nem mesmo tem o nome gritado pela Fiel como os ídolos atuais Felipe, Douglas, Dentinho... Mas poucos têm a identificação que o volante, de 29 anos completados no sábado, mostra com a camisa corintiana.



Foram 221 jogos, em duas passagens (de 2001 a 2004, e 2008 em diante), que o fazem ser o atleta com mais jogos pelo clube do elenco atual. Até o fim da temporada, pode ser o segundo entre todos que jogaram no século 21, atrás apenas do ídolo eterno Marcelinho Carioca.

– Às vezes, o torcedor esquece daqueles que carregam o piano. Mas é normal. Não penso em bater recordes, quero ter o reconhecimento da Fiel e ficar gravado no coração de todos pelos títulos que conquistei – diz.

E um dos títulos, com certeza, é a Libertadores de 2010. Antes, Fabinho, emprestado pelo Toulouse (FRA), terá de renovar seu contrato, que termina em julho deste ano. Por enquanto, a meta é voltar ao time titular, passar pelos principais rivais no Campeonato Paulista e conquistar a Copa do Brasil.

Então, no dia do aniversário, ele faz seus pedidos:

– Peço muita saúde, para não sofrer mais lesões, aproveitar ao máximo os campeonatos com essa camisa maravilhosa e poder ganhar tudo o que disputarmos em 2009. Podemos repetir os feitos e sermos tão lembrados quanto aquele time de 2002 – prevê o fiel corintiano.

LANCENET!: O presidente do clube, Andrés Sanchez, disse que conquistar a vaga para a Libertadores é obrigação. O técnico Mano Menezes e Ronaldo disseram que é uma das metas do ano. E para você?
Fabinho: Corinthians é obrigado a ganhar tudo aquilo que disputa. Não podemos priorizar uma competição. Mas realmente seria uma decepção de todos os jogadores e torcedores (não conseguir). Teremos duas oportunidades para chegar à Libertadores em 2010, e temos de ir bem nos dois campeonatos. O ideal é vencer a Copa do Brasil e garantir a Libertadores o quanto antes. Mas teremos de ir bem no Campeonato Brasileiro para chegar com moral na Libertadores de 2010 e ganhar este título que ainda falta para nós.

L!: Você fazia parte da equipe que foi eliminada na Libertadores pelo River Plate (ARG), em 2003...
F: A Libertadores está engasgada. E, quando encerrar a minha carreira, quero olhar para trás e falar que consegui tudo aquilo o que queria, e com certeza a Libertadores é um desses meus objetivos.

L!: Além dos 29 anos completados neste sábado, você é o jogador do elenco que mais vestiu a camisa do Corinthians. Como funciona a sua liderança com o grupo?
F: Esse espírito de liderança está dentro de mim, flui naturalmente. Sou inquieto dentro de campo, cobro de todo mundo, mas faço isso apoiando, porque sei o quanto é difícil vestir essa camisa.

L!: A equipe começa o Paulista mais pressionada, pelo fato de ter começado a pré-temporada duas semanas antes dos outros?
F: Isso é uma situação que temos de lidar. Foi importante para ganhar tempo, pois o campeonato é muito curto. Largamos na frente, mas teremos de fazer muita coisa ainda. Cada jogo será uma história, mas estaremos 110% para passar por cima dos nossos adversários.

L!: E qual será o maior rival do Corinthians no Paulistão?
F: Os outros três grandes chegam bem, tem elencos fortes. A disputa ficará entre os quatro. O São Paulo, hoje, é a melhor equipe do Brasil. Mas com o Palmeiras a rivalidade é maior, vem de tempos, passa por gerações e não vai acabar nunca!

L!: Você está há quase seis meses sem jogar. No período em que ficou lesionado, o Corinthians voltou para a Série A e foi campeão da Série B. Como foi a sensação?
F: Não estava fisicamente em campo, mas estava ali com os jogadores dia-a-dia. Somos seres humanos, não dá para jogar sempre. Superei essa época com o apoio da família e com o exemplo do Acosta, que é um dos meus maiores exemplos de superação. Ainda não estou 100%, mas trabalho firme diariamente para voltar ao meu melhor.

L!: E como fica a disputa no meio-de-campo? Cristian terminou o ano bem, Túlio, ex-Botafogo chegou...
F: O Corinthians fez grandes contratações. É bom que ninguém vai se sentir à vontade. Estou trabalhando forte, mas aqui há muitos jogadores com capacidade de ser titular em qualquer lugar. Eu gosto de brigar sempre pelo melhor, e quero jogar e buscar o que é melhor pra mim, pensando no futuro.

L!: Seu contrato acaba em maio. Já houve conversa para renovar?
F: O presidente (Andrés Sanches) já quis discutir um novo contrato, mas eu prefiro voltar da lesão, dar o meu melhor e sentar com ele para discutir o que acho que é melhor para mim. Meu pensamento é continuar aqui. Minha família está bem no Brasil, minha mãe quer que eu fique aqui. Quando passar as eleições presidenciais (em fevereiro), tenho certeza de que vamos decidir a minha permanência por mais alguns anos.

Fonte: LanceNet!

Nenhum comentário: