terça-feira, 13 de julho de 2010

Com William Morais, Timão prega calma para tentar emplacar revelação

O início está sendo animador. Em apenas 45 minutos, o jovem William Morais fez dois gols e ainda sofreu o pênalti que originou o tento anotado por Souza na goleada por 6 a 0 diante do Comercial-MS. Foi apenas um amistoso, mas o atleta recém-promovido ao elenco profissional é visto com uma oportunidade do Corinthians para emplacar uma nova revelação, algo que se tornou raro nos últimos anos.

No entanto, o clube prega cautela. O próprio técnico Mano Menezes faz alerta e sabe que é preciso ter calma com o jovem atleta. - Estou muito feliz com esse começo. Tem bastante qualidade, inteligência. Mas precisamos ter paciência. Ele [William Morais] é jovem e ainda tem muita coisa para aprender - disse.

A calma do treinador reflete o pensamento da diretoria, que viu inúmeras tentativas frustradas para colocar um novo talento na vitrine. A última estrela vinda das categorias de base ainda continua no Corinthians. É Dentinho, que chegou à equipe profissional na temporada 2007, caiu com o time para a Série B do Brasileiro, deu a volta por cima e se transformou em titular absoluto da equipe de Mano Menezes.

Para se ter ideia, muitos jovens foram promovidos nos últimos anos e poucos emplacaram. Exceção feita ao meia Willian, que atuou pouco pelo profissional e acabou sendo negociado com o futebol ucraniano (Shakhtar Donetsk), o clube vivenciou, até o momento, uma série de frustrações.

A principal, talvez, seja o meia Lulinha. Ele era a esperança corintiana. Especulou-se que o Chelsea (ING) estaria atrás do atleta, mas o Corinthians recusou uma negociação. No entanto, jamais conseguiu reeditar os bons momentos da categoria de base e acabou indo para o Estoril, que, à época, disputava a segunda divisão portuguesa.

Outros nomes surgiram. Boquita apareceu na Copa São Paulo do ano passado. Mano não pensou duas vezes e o conduziu para o time profissional. Até foi bastante aproveitado, mas, aos poucos, acabou perdendo espaço. Atualmente, o meia sequer é relacionado para o banco de reservas.

O lateral-esquerdo Dodô e o atacante Marcelinho também foram avaliados com grande potencial. No entanto, ainda não deram o salto tão esperado pelo clube. O primeiro tem poucas oportunidades --o experiente Roberto Carlos é o dono da posição. O segundo disputa a Série B do Campeonato Brasileiro pela Ponte Preta.

Fonte: Uol

Nenhum comentário: