domingo, 11 de julho de 2010

Análise do GPS da Land Rover do goleiro Bruno indica novos locais de buscas em municípios de Minas


O Land Rover do goleiro Bruno, onde foi encontrado sangue de Eliza e de um homem: polícia rastreou uma série de endereços por onde o carro circulou no período em que Eliza esteve em cárcere privado. (Marcelo Theobaldo/Agência Globo)

A análise do sistema de localização por GPS da Land Rover do goleiro Bruno indica, para os investigadores do assassinato de Eliza Samudio, novos locais onde pode haver pistas e até sinais do corpo da jovem. O resultado do rastreamento foi concluído nesta sexta-feira pelo Instituto de Criminalística de Minas Gerais, e enviado aos delegados que comandam a investigação.

No período em que Eliza esteve em cárcere privado e foi executada na região metropolitana de Belo Horizonte, a Land Rover esteve em uma série de endereços em Betim, Contagem, Ribeirão das Neves e Esmeraldas. Policiais farão novas buscas nesses locais.

No veículo – modelo Range Rover – foram encontrados vestígios do sangue da ex-amante do jogador Bruno. Um primo adolescente do jogador contou à polícia que o sangue é resultado de três coronhadas que ele próprio desferiu contra a cabeça de Eliza.

Foi encontrado no carro também sangue de uma pessoa do sexo masculino, que os policiais suspeitam ser do agressor. Para comparar o sangue com o dos principais suspeitos, os policiais pretendiam fazer um teste de DNA de Bruno, Luiz Henrique Ferreira Romão, o Macarrão, e do ex-policial civil Marcos Aparecido dos Santos – suspeito de ter matado Eliza por estrangulamento.

Nenhum dos três, no entanto, cedeu amostras de saliva para os testes. A legislação garante aos acusados o direito de não fornecer provas contra eles mesmos – mesmo princípio que permite aos motoristas suspeitos de embriaguez não se submeter ao teste do bafômetro em blitzes.

O advogado Ércio Quaresma, que defende Bruno e Macarrão, orientou seus clientes a não ceder o material. Marcos Aparecido, que foi abandonado na noite de quinta-feira pelos dois advogados que o defendiam, passou a ser representado pelo advogado Zanone Júnior.

Na manhã desta sexta-feira, estão sendo feitas buscas no sítio do goleiro, em Esmeraldas, e em um sítio de Marcos Aparecido no mesmo município. Neste local, há suspeita de funcionamento de um “ponto de extermínio”, segundo policiais civis de Minas Gerais.

Nenhum comentário: