domingo, 3 de maio de 2009

Vitória e Bahia opõem hegemonia e tabu na decisão do Baianão

Para os rubro-negros, o tricampeonato; para os tricolores, o fim de um jejum de oito anos. Mais que o título estadual de 2009, Vitória e Bahia colocam em jogo neste domingo, no Barradão, uma rivalidade de 77 anos.

Será o capítulo 439 de uma história que já produziu 1.046 gols, com 173 triunfos do Bahia e 128 do Vitória. Pela 26ª vez um Ba-Vi decide o Campeonato Baiano.

O Bahia ainda detém folgada vantagem de títulos estaduais sobre o rival - 43 a 24 -, mas o Vitória conquistou 14 das últimas 20 edições da competição, contra seis do time tricolor, já contando o título de 1999, dividido entre ambos depois que o Bahia se recusou a fazer a final no Barradão.

Nos últimos 40 anos, em apenas em duas oportunidades o título não ficou com a dupla Ba-Vi: em 1969, com o Flu de Feira, e em 2006, com o Colo-Colo.

O campeão ficará de posse da Taça João Havelange. O nome do brasileiro que presidiu a Fifa entre os anos de 1974 a 1998 está gravado no troféu que será entregue ao campeão. João Havelange, que vive no Rio, não confirmou se estará presente ao Barradão para entregar a taça.

A última vez que o Bahia faturou o Baianão foi em 2001. E para quebrar o jejum de oito anos e impedir o tricampeonato do rival, terá de superá-lo por diferença igual ou superior a dois gols, como já conseguiu fazer no último confronto no Barradão, quando venceu por 2 a 0.

Mas no primeiro jogo das finais, foi o Vitória quem venceu o inimigo fora de casa, por 2 a 1, quebrando uma invencibilidade de 14 jogos do adversário em Pituaçu e ampliando a vantagem que já detinha de jogar por dois empates ou vitória e derrota pelo mesmo saldo, já que realizou a melhor campanha.

"Espero que a gente não precise utilizar a vantagem", disse o meia Bida, para quem enfrentar o Bahia jogando pelo empate pode se transformar numa perigosa armadilha para os anfitriões.

Nos preparativos finais, Gallo e Carpegiani realizaram treinos fechados à imprensa para tentar surpreender o adversário.
"Em uma decisão vale tudo. Treinamos nesta semana jogadas ensaiadas, fizemos um bom trabalho tático e também apuramos a parte ofensiva", relatou o lateral Rubens Cardoso.

Apesar do mistério, Carpegiani já confirmou a manutenção da escalação das duas últimas partidas, com Luciano Almeida fazendo a função de falso lateral e terceiro zagueiro.

Já o técnico Alexandre Gallo mantém a incógnita sobre a escalação do meio-campo. Com a volta de Rogério, livre de suspensão, ele deve formar o setor com quatro volantes: Rogério, Leandro, Élton e Léo Medeiros. Na lateral direita, Dedé é o mais cotado para assumir a vaga de Patrício, que foi expulso no último confronto.

Até a sexta-feira, mais da metade dos 35 mil ingressos colocados à venda já haviam sido adquiridos pelos torcedores e a expectativa é a de casa cheia.

VITÓRIA x BAHIA

Data:03/05/2009 (Domingo)
Horário: 17h
Local: Barradão, em Salvador
Árbitro: Leandro Pedro Vuaden (RS)
Auxiliares: Alessandro Álvaro Rocha de Matos (BA) e Raimundo Carneiro de Oliveira (BA)

Vitória:
Viáfara; Wallace, Victor Ramos e Luciano Almeida; Apodi, Vanderson, Carlos Alberto, Bida, Ramon e Jackson; Neto Baiano
Técnico: Paulo César Carpegiani

Bahia:
Marcelo; Dedé, Evaldo, Nen e Rubens Cardoso; Rogério, Leandro, Elton e Léo Medeiros; Beto e Reinaldo Alagoano
Técnico: Alexandre Gallo

Nenhum comentário: