sexta-feira, 3 de julho de 2009

Vila Nova 0 x 0 Guarani - Invicto e líder até a 10ª rodada!

O Guarani manteve sua invencibilidade e assegurou a liderança do Campeonato Brasileiro da Série B, pelo menos, até o final da próxima rodada. Em um duelo bastante movimentado, o time de Campinas arrancou um empate sem gols com o Vila Nova, na noite desta sexta-feira, no Estádio Serra Dourada, em Goiânia, pela nona rodada.

Agora, o Guarani segue na ponta, com 23 pontos. Quatro pontos de vantagem sobre o vice Brasiliense. Além disso, soma 475 minutos sem levar gols. O último foi ainda na quarta rodada, quando bateu o Bragantino, por 3 a 2. Os goianos estão no 11.º lugar, com 12 pontos.

Vila mais perto do gol
Com três volantes em campo (Cocito, Bilica e Alisson), o técnico Vágner Benazzi dificultou a vida do Guarani. O Vila Nova começou melhor a partida, aproveitando os espaços deixados pelo meio-campo bugrino. Os primeiros minutos foram marcados pelas jogadas aéreas da equipe goiana, quase sempre em direção do atacante Vanderlei.

Foi em uma jogada pela linha de fundo que os donos da casa quase abriram o placar. Aos 19 minutos, o lateral Osmar cruzou pelo lado direito e o atacante Gil, livre de marcação, desviou mas mandou por cima do gol. Aos 23, o Vila assustou novamente. O ala-esquerdo Ralph cobrou escanteio e o zagueiro Thiago Carvalho desviou de cabeça rente ao travessão.

Depois do susto inicial, o Bugre conseguiu se acertar em campo. Com uma marcação mais adiantada, a equipe campineira começou a chegar com perigo nos contragolpes. Aos 28 minutos, o volante Glauber soltou uma bomba e o goleiro Juninho salvou. Um minuto depois, os visitantes perderam grande chance. Em bela trama, Nei Paraíba ajeitou de peito, mas Walter Minhoca chutou por cima.

Os dois lances, no entanto, voltaram a despertar o Tigre. Com muita velocidade nas pontas, os mandantes ainda criariam outras duas ótimas oportunidades. Aos 37, Walter Minhoca perdeu para osmar, que bateu cruzado para grande defesa do goleiro Douglas. A melhor de todas, contudo, veio aos 40. Gil recebeu de Vanderlei e finalizou. A bola tirou tinta da trave direita do goleiro.

Bugre se segura
Na segunda etapa, o panorama do jogo pouco mudou. O duelo continuou bastante movimentado, o Vila seguiu buscando mais o ataque, enquanto o Guarani tentava sair nos contra-ataques. Os donos da casa continuaram a explorar muito as jogadas pelos flancos, mas encontraram muitas dificuldades para concluir com qualidade.

Com Adraiano Gabiru apagado e apenas Walter Minhoca na armação, o Bugre não apresentou a mesma eficiência na saída de bola e na armação. Aos poucos, a pressão foi aumentando e o placar quase foi aberto aos 20 minutos. Ralph cobrou escanteio na área e Vanderlei desviou, de cabeça, e carimbou a trave esquerda de Douglas.

Prevendo o equívoco na escalação inicial, Vadão mudou o meio, tirando justamente Gabiru e Minhoca para as entradas do volante Nunes e do atacante Fabinho. O duelo ganhaou ainda mais emoção quando Benazzi decidiu mandar sua equipe ao ataque. Ele sacou o volante Cocito e colocou o atacante Júlio Madureira.

As mudanças surtiram mais efeito para o Guarani, que conseguiu "amarrar" bem o jogo e diminuir a pressão do adversário. Nos minutos, o confronto ficou bastante truncado e o que se viu foi um festival de cartões amarelos. Nos últimos dez minutos, foram oito no total. Quatro para cada lado.

Próximos Jogos
Agora, o Vila Nova volta a campo apenas no próximo dia 11 de julho (sábado), às 16h10, quando enfrenta o Bragantino, no Estádio Nabi Chedid, em Bragança Paulista. Enquanto isso, o Guarani joga contra o Brasiliense, na terça-feira, às 21 horas, no Estádio Brinco de Ouro, em Campinas.

Ficha Técnica

Vila Nova 0 x 0 Guarani

Local: Estádio Serra Dourada, em Goiânia-GO
Árbitro: Jailson Macedo Freitas-BA
Renda: R$ 71.410,00
Público: 4.985 pagantes
Cartões Amarelos: Vanderlei, Thiago Carvalho, Alisson, Cocito, Edson Borges e Júlio Madureira (Vila Nova); Walter Minhoca, Maranhão, Cléber Goiano, Márcio Alemão e Eduardo (Guarani)

Vila Nova
Juninho; Osmar, Thiago Carvalho, Edson Borges e Ralph; Cocito (Júlio Madureira), Bilica, Alisson e Luciano Ratinho (Washington); Gil e Vanderlei (Thiago Cunha).
Técnico: Vagner Benazzi.

Guarani
Douglas; Maranhão, Márcio Alemão, Bruno Aguiar e Andrezinho; Cleber Goiano, Glauber, Adriano Gabiru (Nunes) e Walter Minhoca (Fabinho); Caíque (Marquinhos) e Nei Paraíba.
Técnico: Vadão.

Nenhum comentário: