quarta-feira, 15 de julho de 2009

Com um jogador a mais Santos empata na Vila com o Grêmio Barueri

A fase continua difícil para o Santos. Sem técnico desde segunda-feira, quando Vagner Mancini deixou o comando da equipe, devido a goleada sofrida para o Vitória, no último domingo, o Peixe não conseguiu a vitória que queria para dar fim à crise, mas conseguiu um empate com o Barueri, em 3 a 3, na Vila Belmiro. Depois de estar perdendo por duas vezes, por dois gols de diferença, os santistas conseguiram um empate nos minutos finais.

Desta forma, o Alvinegro Praiano agora ocupa a 11º colocação, com apenas 14 pontos ganhos, esperando. Já o clube da Grande São Paulo segue surpreendendo em seu primeiro ano na Série A do Campeonato Brasileiro, na quinta posição, com 18 pontos.

Na próxima rodada, os santistas tem um teste complicado, contra o São Paulo, domingo, no Morumbi. Suspensos, Fabão e Rodrigo Souto não poderão atuar. No mesmo dia, o Barueri recebe o Naútico, na Arena Barueri.

O jogo - O confronto começou com o Santos assustado pela pressão da torcida e se expondo aos contra-ataques do seu oponente. Aos seis, Leandro Castán quase abriu o placar para os visitantes. Douglas se esticou todo para fazer a defesa, conseguindo evitar o primeiro gol do Barueri.

Se aos seis o Barueri assustou, aos 13, balançou as redes. Pimentel cruzou a bola para a entrada da área, Fabão dominou errado, na frente de Val Baiano. O atacante do time da Grande São Paulo aproveitou a falha, dominou a bola e finalizou no canto esquerdo de Douglas, que ainda desviou a bola, porém não conseguiu evitar que o Barueri abrisse o placar na Vila.

O Santos tentou não se abater e foi para cima do adversário. Com 16, quase o Peixe quase empatou. Após bate-rebate, a bola sobrou para Paulo Henrique Lima. O meia dominou, só que na hora de chutar, acabou mando a bola por cima do gol.

Se de um lado Ganso desperdiçou a oportunidade que teve, Fernandinho não falhou aos 17. O avante do Barueri gingou para cima de Wagner Diniz, passando com facilidade, antes de soltar uma bomba, sem chances para Douglas.

Aos 27, mesmo jogando mal, o Alvinegro Praiano conseguiu diminuir a desvantagem. Em cobrança de falta precisa, o meia Madson diminuiu o placar. No minuto seguinte, quase os santistas chegaram ao empate. Roni se antecipou ao zagueiro na dividida, antes de finalizar com força. Atento, Renê fez uma grande defesa e, posteriormente, a zaga afastou o perigo.

A empolgação do Santos sofreu um duro golpe aos 29 minutos, com o terceiro gol do Barueri. Novamente Fernandinho, para cima de Wagner Diniz, levou a bola para a linha de fundo e bateu para trás. Na velocidade, Val Baiano se antecipou à defesa do Peixe, escorando a bola para o fundo do gol.

Irritado com a atuação de Diniz, Chulapa não teve dúvidas em sacar o lateral, bastante vaiado pela torcida. Luizinho entrou em seu lugar.

Depois dessa substituição, o que se viu foi um Alvinegro Praiano desorganizado, perdido em meio a erros de posicionamento e jogadas confusas no campo de ataque, que eram facilmente interceptadas pelo bem postado sistema defensivo do Barueri.

Na volta do intervalo, com Éder no lugar de Pimentel, a equipe da Grande São Paulo viu a sua situação ficar menos confortável. 'Pendurado' com um cartão amarelo, o meio-campista Ralf tocou com a mão na bola. Sem outra opção, o árbitro Guilherme Cereta de Lima mostrou o segundo amarelo para Ralf, antes de expulsá-lo da partida, com um minuto da etapa complementar.

Tentando buscar ânimo para reagir no duelo, os santistas quase diminuíram a contagem, com o volante Rodrigo Souto. Aproveitando-se de uma confusão na área, Souto mandou a bola no travessão, assustando o goleiro Renê.

Aos seis, Rodrigo Souto outra vez levou perigo. O meio-campista pegou bem na bola de fora da área, exigindo uma grande defesa de Renê.

Sem inspiração, mas com bastante garra, o Santos chegou ao seu segundo gol. Aos 35, Paulo Henrique Lima bateu a falta em dois lances, Renê não segurou e o meia Róbson, que havia entrado no lugar do atacante Roni, completou para as redes, 'incendiando' o jogo.

Na pressão, o Peixe quase chegou ao empate. Com 38, Madson cobrou escanteio na cabeça de Kléber Pereira, que subiu mais alto que toda a zaga do Barueri, mas a bola saiu ao lado da trave esquerda de Renê.

E a insistência alvinegra acabou sendo premiada. Aos 43, boa jogada de Luizinho, que cruzou na cabeça de Neymar. O jovem atacante, que entrou no decorrer do segundo tempo, em substituição à Fabão, deixou tudo igual na Vila Belmiro, para alívio do torcedor.

Nenhum comentário: