sábado, 5 de setembro de 2009

Na surdina, diretoria corintiana reativa equipe B

Simultaneamente aos gols de Bill e Chicão na virada contra o Santos, na última quarta-feira, no Pacaembu, o atacante Fernando Henrique marcava o gol da vitória de um outro Timão sobre o Vulcão, na cidade de Poços de Caldas, Minas Gerais. Loucura? Nada disso!

Trata-se da equipe B alvinegra que, na surdina, foi reativa pelo presidente Andrés Sanchez. FH faz parte do grupo de 18 jogadores empregados pelo clube que não têm mais idade para atuar entre os juniores e que também não serão aproveitados por Mano Menezes.

Chamada pelo ex-coordenador das categorias de base Cilinho de “Caixa 2” e “malandragem do futebol”, a equipe B do Corinthians está de volta, sem qualquer alarde. Em entrevista ao LANCENET!, o ex-técnico Adaílton Ladeira e atual coordenador das categorias de base do clube, explica a situação.

– São jogadores que não poderão disputar a próxima Copa São Paulo (idade máxima é de 18 anos), que voltam de empréstimo de outros clubes ou que não terão chance com Mano. A gente marca alguns amistosos para não ficarem parado – diz Ladeira.

– Quem sabe, em um desses jogos, eles não possam despertar interesse do adversário e, com isso, serem emprestados ou vendidos? – completou o ex-treinador, tricampeão da Copa São Paulo de juniores pelo Timão.

Entre os mais conhecidos pela Fiel, além de Fernando Henrique, autor de um dos gols que garantiu o hepta da Copa São Paulo em janeiro deste ano, o volante Cássio, que estava emprestado ao Guaratinguetá (SP), e o goleiro André Dias.

– Eles estão trabalhando em Itaquera como se tivessem disputando os campeonatos – explicou Ladeira.

A volta da equipe B causa estranheza, principalmente, pelas suspeitas que foram levantadas pelo próprio clube há cerca de dois anos. Na ocasião, o próprio diretor das categorias de base do Corinthians, Miguel Marques e Silva, criticou:

– É um saco furado, uma sangria no clube. Há indício de Caixa 2 no departamento, mas não podemos trabalhar em cima de conjecturas – disse Miguel Marques, na ocasião.

Técnico do sub-20 quebra galho no B

Doriva Bueno é o responsável pelo Sub-20 do Corinthians, mas quebra um galho como treinador da equipe B quando é marcado algum amistoso pela diretoria. A última vez que teve de colaborar com os jogadores que estão encostados no clube foi na última quarta-feira, contra o Poços de Caldas, em Minas Gerais.

Campeão paulista júnior com o XV de Jaú, Doriva deixou o clube do interior de São Paulo para acertar com o Timão. O treinador foi o responsável ainda por levar o clube jauense à Série A2, em 2006. Atualmente, comanda os garotos Sub-20 no Campeonato Paulista, ocupando a quarta colocação do Grupo 3.

– Eu passei a trabalhar como coordenador e trouxe Doriva, que era do XV de Jaú. Ele é experiente e vai nos ajudar bastante com os meninos do Sub-20 – afirmou Adaílton Ladeira, que trocou a função de treinador por coordenador.

Nenhum comentário: