Seleção do Brasileirão: Os melhores aproveitam a "deixa"

Alguns clubes poupam jogadores de olho na Copa Libertadores. Outros pensando nas semifinais da Copa do Brasil. Independente disso, a quarta rodada do Campeonato Brasileiro reservou, outra vez, muitas emoções.

Alguns clubes estão aproveitando a “deixa’ dos grandes, como o Náutico, ainda invicto, com oito pontos, em quarto lugar. O Vitória, com nove pontos, ostenta a vice-liderança. E o Internacional, mesmo com vários reservas, continua sobrando: lidera com 12 pontos.

Se a competição terminasse agora, estariam rebaixados para a série B dois times paranaenses – Coritiba e Atlético-PR – além de Botafogo e Sport. Os artilheiros da competição são Felipe (Goiás) e Marcelinho Paraíba (Coritiba), com quatro gols cada.

Confira os melhores da 4.ª rodada do Brasileirão:

Goleiro: Lauro (Internacional): Quando se fala que o time vai jogar com meio time reserva ou quase todo ele, se esquece do goleiro. E Lauro, do Colorado, continua sendo escalado e mantendo uma excelente performance. Ele sofreu, neste domingo, seu primeiro gol em quatro jogos. E num pênalti muito discutido, que teria saído de uma falta ocorrida fora da grande área. Mas pelo contexto da obra, Lauro merece ser lembrado. No pênalti? Com a absurda paradinha, não conseguiu defender.

Lateral direito: Diogo (Fluminense) – Mostrou força na marcação e numa das gratas peças do Fluminense, que empatou com o Náutico, nos Aflitos, em Recife. E o empate só saiu nos acréscimos, numa cobrança de pênalti. Diogo supriu bem a ausência de Mariano, o titular.

Zagueiro: Miranda (São Paulo) – Impecável na marcação na poderosa dupla ofensiva cruzeirense, formada por Kléber e Wellington Paulista. Soube usar seu porte físico, sendo imbatível no chão e no alto, como se exige de um grande zagueiro, agora, da Seleção Brasileira.

Zagueiro: Marcel (Santo André) – Com muita personalidade soube impor a sua técnica para segurar os bombardeios do Atlético, em pleno Mineirão. Mas foi perfeito, tanto pelo chão, como pelo alto. Sem duvida foi um dos responsáveis pelo empate sem gols, mesmo com o Ramalhão atuando com um a menos a partir dos 7 minutos do segundo tempo, por causa da expulsão esquisita de Marcelinho Carioca.

Lateral esquerdo: Juan (Flamengo) – Com a mesma categoria de sempre, ele ajudou o Flamengo a vencer o Atlético-PR, em tarde de festa no maracanã, marcada pela reestréia do atacante Adriano, o Imperador.

Volante: Fernando (Santo André) – Aos 42 anos, o veterano continua correndo como nunca no meio-campo do Santo André. Além disso, coordenou a sua equipe, que tinha um a menos (Marcelinho Carioca foi expulso) e saiu do Mineirão sem sofrer gol.

Meia: Leandro Domingues (Vitória) - Foi o principal jogador da equipe na vitória sobre o Grêmio. Criou boas oportunidades e foi recompensado com o gol aos 47 minutos do segundo tempo, que garantiu os três pontos para o Vitória.

Meia: Paulo Henrique (Santos): Há muito tempo que ele em sido o ponto de equilíbrio do meio-campo santista. Mas desta vez foi além: marcou dois gols no clássico contra o Corinthians.

Meia: Marlos (São Paulo) - A estreia do jovem de 20 anos não poderia ser melhor. Jogou aberto pela direita e levou muito perigo à defesa do Cruzeiro. Participou do segundo gol, ao lançar Zé Luís pela direita, e fez o papel do meia que sempre faltou no time de Muricy Ramalho. Tem futuro e, se tiver paciência, vai longe no Morumbi.

Atacante: Pedrão (Barueri) – Puxou a reação do seu time diante do Palmeiras, depois de sair atrás por 2 a 0. Marcou um gol deitado no chão e outro aproveitando vacilo do goleiro Marcos. Já tem três gols na competição e promete brigar pela artilharia da temporada.

Atacante: Felipe (Goiás) – Marcou dois gols na primeira vitória do time goiano dentro do Brasileirão. O Goiás aproveitou o fato de pegar o mistão do Coritiba, para enfiar 3 a 1 no Coxa. No final da competição, ninguém vai lembrar da escalação...e Felipe vai contabilizar seus dois gols. Mas não se pode esquecer, num domingo de gols, a estréia positiva de Adriano, no Flamengo, e o gol de Obina, pelo Palmeiras, quebrando um longo jejum sem gols.

Técnico: Muricy Ramalho (São Paulo) - Teve momentos de "burro" no começo do ano, mas mostrou inteligência ao mudar a equipe contra o Cruzeiro. Suas apostas deram resultado: Marlos foi o melhor em campo e Borges voltou a marcar. Na etapa final, lançou Dagoberto, que também fez o seu. Se quiser, pode dar uma cara mais leve ao time do São Paulo.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Adivinhas

Frases de Amor e Frases Românticas