segunda-feira, 8 de junho de 2009

Redução no combustível nada tem a ver com CPI da Petrobras, diz presidente da estatal

A redução do preço de combustíveis anunciada hoje pela Petrobras "nada tem a ver" com a CPI (comissão parlamentar de inquérito) instalada para investigar a estatal, afirmou o presidente da empresa, José Sergio Gabrielli, em entrevista ao programa Roda Viva, da TV Cultura, no início da noite desta segunda.

"A Petrobras não está sendo bombardeada por causa do preço da gasolina. Ela está sendo bombardeada por denúncias publicadas na imprensa", afirmou. O anúncio da redução de 9,6% no preço do diesel e de 4,5% na gasolina (apenas a redução no preço do diesel deve chegar ao consumidor final) foi feito pelo ministro da Fazenda, Guido Mantega.

Gabrielli também disse que "a CPI é um instrumento legítimo da oposição no Congresso Nacional", mas defendeu uma investigação de casos concretos. "Nós estamos preparados para responder as questões, desde que elas sejam pontuais, fáticas e objetivas", disse.

"Uma CPI que não tenha clareza, que vai sair fazendo investigações para ver o que vai ser investigado, é uma CPI que vai criar um ataque permanente à Petrobras. Porque as pessoas acreditam na imprensa. A imprensa tem credibilidade, os blogs têm credibilidade."

Ainda sobre a CPI, Gabrielli negou que haja problemas de planejamento na Petrobras. "Nós somos reconhecidos como um dos melhores planejadores do mundo, em obras complexas, em grandes obras. Um reconhecimento técnico internacional inegável. Querer atribuir à Petrobras irresponsabilidade ou incompetência no planejamento é uma piada, porque nós temos milhares de obras sendo feitas. Vamos com calma!"

Vazamento de reportagens
Sobre blog recentemente colocado no ar pela Petrobras e sobre a polêmica publicação antecipada de perguntas feitas à estatal por jornalistas da "Folha de S.Paulo", Gabrielli afirmou que a publicação prévia continuará acontecendo. "Os jornalistas já estão de adaptando", disse.

A empresa colocou o blog no ar no dia 2 de junho, após a abertura da CPI da Petrobras. Segundo a estatal, o objetivo é apresentar "fatos e dados recentes da Petrobras e o posicionamento da empresa sobre as questões relativas à comissão".

"Estamos apostando num instrumento, criado num momento de intensa exposição sobre temas da Petrobras, com várias interpretações diferentes, com várias conotações distintas, matérias insinuadoras que precisam ser publicadas na íntegra. Nós não estamos dando opiniões antes. A nossa opinião é posterior à publicação. Antes, nós só damos informações de fatos e dados", argumentou.

Questionado sobre se possui um blog, Gabrielli afirmou que tem apenas um perfil no Twitter. "Um blog não, porque não tenho tempo de atualizar." Já o blog da Petrobras, segundo ele, "foi feito para ter uma relação direta com seu público de interesse". "É um passo a mais, que reflete a modernidade."

Em seguida, negou que haja sobre loteamento de cargos na estatal. "Uma empresa que tem 240 mil contratos, uma empresa que funciona como a Petrobras funciona, que nos primeiros três meses desse ano investiu R$ 15 bilhões, R$ 5 bilhões por mês, não pode ser uma empresa que seja loteada", afirmou.

Nenhum comentário: