quarta-feira, 8 de abril de 2009

POESIA POR MIM

Existe um algo no fundo
que me mata.
Existe o que execro
e não passa de piada.

Não enxergo como profundo
só porque é complexo.
Pequenos detalhes da vida
eu me interesso.

Não pense que é banal
só porque é seu
só porque já conhece
ou porque já viveu.

Tudo que não percebe
pode ser exato.
E o que não me diz algo
ser até inato.

Minhas experiências são ilusões
que faço, que tenho, que vivo.
Meus desejos satisfações
que espero, que quero e não consigo.

O frustrado é alguém
que pára de sonhar;
que rouba o sonho dos outros
que te impede de brilhar.

Eu quero o meu todo comigo
meus sonhos, minha música, minha vida.
Não quero restrições de conduta
as regras são geralmente absurdas.

Me importo com o que sinto
com o que ouço sem palavras,
com o que falam sem sentido,
com o desabafo de um grito.

Sou feliz assim
na espontaneidade de um furo
no que eu vejo de profundo
em ser feliz de corpo e alma.

De resto não prego nada,
não digo nada, não quero nada.
O que me interessa de verdade
Não digo só em palavras.

Fabiana Di Pietro

Nenhum comentário: