quarta-feira, 8 de abril de 2009

DESENGANOS

Os dias passaram,
Com eles os meses e anos,
Mas os meus desenganos
Com perdas e danos,
No tempo parou...

Olhares e risos,
Fontes de improvisos
Que o vento levou,
Da vida? Pranto e tédio,
Uma dor sem remédio,
Foi o que restou...

A paixão? Só saudade produz,
Numa chama de luz,
De um olhar que encantou.
O amor? Sonho e ternura,
Verdade tão pura,
Que o tempo não apagou!

Vilma Eugenio

Nenhum comentário: