sábado, 17 de janeiro de 2009

Para atrair Dunga, Douglas quer fazer menos faltas


Menos cartões e mais jogos. O meia Douglas, do Corinthians, quer ser convocado para a seleção brasileira. Para isso, planeja ficar em campo o maior tempo possível, aproveitando que seu time não tem reserva com suas características. Para isso, quer evitar ser suspenso por acumulo de advertências.

Na Série B do Campeonato Brasileiro, ele Douglas ficou fora de três jogos do Corinthians, por causa dos cartões amarelos. Foram nove no total, todos por faltas cometidas. “O Mano Menezes pede que a gente ajude na marcação. Como não sei marcar muito bem, às vezes sou meio afoito e acabo cometendo faltas”, diz o número 10 e único armador de ofício do time.

Douglas sabe que, no início da temporada, não tem competidor pela vaga no meio de campo. Por isso, quer aproveitar para jogar o máximo possível. “Estou pegando as manhas da marcação, aprimorando este fundamento”, garante. Além disso, ele torce para não sofrer lesões: “Vamos ter um ano cheio. Torço para que tudo dê certo”.

Depois de duas semanas de trabalho em Itu, no interior de São Paulo, os corintianos vão disputar neste sábado uma partida amistoso com o Estudiantes de La Plata, vice-campeão da Copa Sul-Americana de 2008. Será o primeiro teste para valer da equipe montada por Mano Menezes sem a presença de Ronaldo, que ainda está se condicionando para jogar.

Nos dois jogos-treinos realizados na pré-temporada, Douglas trabalhou para dois atacantes recém-chegados ao clube: Jorge Henrique e Souza.

Percebeu algumas mudanças em relação à dupla de frente de 2008 (Herrera e Dentinho). “O Souza é um atacante que vem mais para receber, para fazer a parede. O Herrera era mais de velocidade, jogava pelos lados. O Jorge Henrique tem o estilo mais próximo do Dentinho”, afirma.

Até aqui, nas duas vitórias contra equipes do Interior do São Paulo (Barbarense e São José), Douglas não fez gols e nem deu assistência. Formou dupla de meio com Túlio, reforço vindo do Botafogo. “A gente está se entendendo bem. Participei de boas jogadas nesses treinos”, avaliou.

No ano passado, o jogador catarinense de 26 anos queria saber se era mesmo um atleta de nível de seleção. “Quero testar meu potencial, ver se posso jogar numa equipe grande”, disse para o Blog do Boleiro no primeiro semestre de 2008.

Agora, já está seguro de que pode sonhar com passos mais largos: “Eu quero ganhar títulos no Corinthians. Vai ser bom para o clube e bom para mim. Quero chegar até a seleção e estou bem próximo disso”, avalia.

Em 2008, os corintianos achavam que não tiveram oportunidade no time do técnico Dunga porque, entre outras coisas, estavam disputando a Série B. Douglas discorda. Na posição dele, ele sabe que tem vários concorrentes que atuam na Europa. “O Dunga está observando todo mundo. Vou continuar fazendo meu trabalho aqui, quietinho. Se jogar bem, posso ter uma oportunidade”, aposta.

Para cumprir este plano de vestir a amarelinha, o armador do Corinthians garante que vem fazendo tudo o que a comissão técnica pediu até aqui. Está bem fisicamente, já passou da fase das dores musculares (“agora tem treino com bola e é mais legal”) e agüentou a distância da família. Douglas conversa diariamente, pela Internet e por telefone, com a esposa Júlia e a filha Maria Eduarda. Elas estão em Criciúma (SC) com outros familiares.

Por isso, mesmo que ganhe uma folga no domingo (“acho que vão dar”), ele não poderá viajar até sua cidade-natal. “Vou dar uma volta por aqui mesmo. Mas eu sou sossegado. Vai ser mais para ver coisas diferentes. Estamos no hotel já faz tempo”, diz o companheiro de quarto do volante Elias. Os dois atletas gastam as noites navegando na internet e vendo televisão.

Fonte: http://borgesluciano.blog.terra.com.br/

Nenhum comentário: