segunda-feira, 12 de janeiro de 2009

Pacotão de segurança: aprenda a se livrar de problemas com o antivírus

Lista também inclui recuperação de DVDs e distribuição de arquivos. Comentários estão abertos para as perguntas dos usuários.

O último “pacotão” de 2008 traz dúvidas deixadas na coluna da semana passada sobre backup. Recuperação de DVDs, armazenamento de fotos profissionais, distribuição não-autorizada de arquivos e backup on-line são os demais temas.

Se você tiver uma pergunta sobre segurança da informação, coloque-a na seção de comentários, localizada no fim desta página. Toda quarta-feira são respondidas questões deixadas por leitores em colunas como esta.

>>>>>Backup on-line

Existe algum site para fazer backup de arquivos? Como um HD virtual? Fazer backup usando DVD não é bom. Fiz isso antes e me dei mal: depois de um ano o DVD começou a ficar velho, ficou arranhado, a película começou a soltar do DVD... acho que a melhor maneira ainda é usar um HD separado como backup.
Vinicius

Existem serviços para armazenamento on-line de arquivos. Alguns são gratuitos e dão espaço suficiente para salvar os documentos essenciais e, geralmente, existe a possibilidade de pagar para ter mais espaço. É importante observar a segurança ao colocar arquivos na rede, conforme respondi em um questionamento de outro leitor.

Vale mencionar ainda que, se o seu DVD durou tão pouco, ele era de má qualidade ou foi manuseado e armazenado sem os cuidados necessários. O dvdisaster, software descrito aqui na coluna, aumenta o tempo de vida útil dos DVDs, mas sua eficiência fica comprometida se a mídia for ruim.

>>>>>Arquivamento de fotografias

Sou fotógrafo e preciso de um conselho de como armazenar minhas fotos com segurança.
Aruan Vaz Barbaço

Isso depende de vários fatores. Como foi explicado na coluna sobre backup, o tipo de arquivo, a quantidade e a freqüência de atualização são fatores importantes a serem considerados.

No caso de fotografias, vai depender de quantas fotos você tira e a resolução e formato usado para armazená-las. Uma foto “RAW” tirada por uma câmera profissional pode facilmente chegar a 20MB, muito mais do que uma câmera compacta. Com 2.000 fotos -- uma quantidade razoável, dependendo do trabalho a ser realizado --, você terá quase 60 GB de dados para arquivar.

Se você pretende apenas armazenar as imagens durante um período de tempo (por exemplo, 30 dias) para depois dar espaço aos trabalhos mais recentes, discos rígidos, sejam eles externos ou em gavetas, são a opção mais segura e cômoda. DVDs são sempre uma opção, devido ao preço atraente, mas você logo terá uma grande quantidade de mídias e precisará de um bom “plano” de backup para conseguir localizar aquilo que procura.

Por outro lado, se você quer armazenar toda essa quantidade de dados a longo prazo (dez anos ou mais), provavelmente terá que recorrer aos backups em fita. Os modelos de fitas mais recentes chegam a ter 1600 GB de espaço (com compressão). A durabilidade é muito boa, desde que as condições de armazenamento da mídia sejam adequadas. O investimento inicial, porém, é bem alto e pode ser proibitivo, dependendo do rendimento que você tem com o seu trabalho.

>>>>>Distribuição não-autorizada de desenhos

Faço desenhos em meu computador e eventualmente terceiros o usam. Como impedir que cópias desses desenhos sejam enviadas por e-mail para outros?
Renato Arantes

Renato, se algo pode ser exibido no computador, pode ser copiado, nem que seja por meio de uma foto tirada do monitor. As grandes empresas de mídia têm tentado restringir o acesso a músicas, jogos e filmes usando todo tipo de tecnologia de proteção e não estão tendo um retorno para o enorme investimento que é feito.

Por outro lado, como seu trabalho parece bem especializado, existem duas saídas. A primeira é tecnológica. Dependendo do tipo de desenho que você faz e como eles são usados, talvez seja possível enviar uma versão de baixa resolução ao cliente, de tal modo que ela será inútil se passada adiante. Fotógrafos costumam fazer isso, permitindo que o cliente veja o trabalho mas não imprima as fotos.

A segunda opção, e provavelmente a melhor, é jurídica. Verifique com um advogado se é necessária a criação de um contrato específico ou não, e utilize a lei de direito autoral, que protege esse tipo de criação contra distribuição não-autorizada. Se os desenhos são feitos especificamente para um único cliente, será ainda mais fácil saber quem realizou a distribuição sem a sua autorização.

>>>>>Recuperação de DVDs

Gravei meus arquivos de um HD em um DVD e depois formatei. O problema é que hoje o DVD não está sendo reconhecido pela unidade. Já tentei em outros PCs e nada. Como faço para recuperá-los?
Daniele Machado

Existem alguns programas que tentam recuperar discos ilegíveis. Porém, pela descrição do seu caso, o problema é diferente. Nem mesmo o dvdisaster – o software para proteger os dados em DVDs mencionado na coluna desta segunda-feira (29) – é capaz de recuperar um DVD em que a chamada área de “lead-in”, que fica próxima ao centro do disco, foi danificada.

Quando há erros nessa área, a maioria dos leitores de DVD não consegue reconhecer que o disco está na unidade, como você descreveu. Logo, não existe nada que um software possa fazer, visto que o hardware não está cooperando. Considerando-se que você testou em vários computadores diferentes, esse pode ser o seu caso, infelizmente.

Talvez uma empresa especializada em recuperação de dados possa ajudá-lo.

Com isso termina a última coluna Segurança para o PC de 2008. Mas na sexta-feira (2) já estarei de volta com o resumo de notícias da semana. Bom réveillon e feliz 2009 a todos.

* Altieres Rohr é especialista em segurança de computadores e, nesta coluna, vai responder dúvidas, explicar conceitos e dar dicas e esclarecimentos sobre antivírus, firewalls, crimes virtuais, proteção de dados e outros. Ele criou e edita o Linha Defensiva, site e fórum de segurança que oferece um serviço gratuito de remoção de pragas digitais, entre outras atividades. Na coluna “Segurança para o PC”, o especialista também vai tirar dúvidas deixadas pelos leitores na seção de comentários. Acompanhe também o Twitter da coluna, na página http://twitter.com/g1seguranca.

Fonte: G1

Nenhum comentário: