sábado, 10 de janeiro de 2009

Novo Marcelinho esquece Pé-de-Anjo e se inspira em outro

Carregar o nome Marcelinho não é para qualquer um no Corinthians. Foi com ele que o Pé-de-Anjo conquistou inúmeros títulos e caiu nas graças da Fiel como um dos maiores jogadores da história do clube. Pouco mais de dois anos depois de o Carioca encerrar seu ciclo no Parque São Jorge, outro Marcelinho começa encantar a torcida. Mas, apesar da mesma alcunha e de também carregar o número sete na camisa, a estrela do Timão na Copa São Paulo se inspira em outro craque: Robinho.

Natural de Osasco, na Grande São Paulo, Marcelo Gil Fernando tem apenas 18 anos e está nas categorias de base do Corinthians desde os nove. Neste período, viu o clube brilhar, como na histórica conquista do Mundial Interclubes, em 2000, sobre o Vasco da Gama, no Maracanã. Na memória, os gols de seu homônimo, famoso pela precisão nas cobranças de faltas.

- Ele era fora do normal batendo na bola. Eu já não sou muito de bater faltas. Via ele e o Djalminha cobrando pênaltis e ficava imaginando se um dia poderia fazer a mesma coisa. Ele tem a história dele, foi um dos grandes jogadores do país. Eu estou apenas começando. Vou devagar - afirmou o atacante, que arriscou uma paradinha semelhante à de Marcelinho Carioca na cobrança de um pênalti na vitória por 3 a 0 sobre o Democrata, pela Copa São Paulo (fez todos os gols).

A fase vencedora do Pé-de-Anjo, contudo, começou a ruir em 2001, quando se envolveu em uma polêmica com Ricardinho e acabou indo para o Santos. E foi no Peixe que o novato Marcelinho viu surgir sua grande inspiração. Em 2002, Robinho, ao lado de Diego, encantou o país ao levar um time de garotos formados na Vila Belmiro ao inédito título do Campeonato Brasileiro.

- Eu sempre fui corintiano, mas adorava ver os jogos do Santos por causa do Robinho. Ele é o jogador que me inspiro, que tento fazer as jogadas iguais. É um grande craque - disse.

Marcelinho, aliás, já esteve em contato com Robinho. A promessa alvinegra é agenciado pelo empresário Wagner Ribeiro, o mesmo que cuidou da carreira do ex-santista durante alguns anos. Pela proximidade, ganhou uma camisa do Real Madrid autografada e uma chuteira utilizada por ele.

- O Robinho viu um DVD meu e depois o Wagner me ligou. Não acreditava que era o Robinho no telefone. Ele me elogiou, disse para que tivesse paciência que as coisas dariam certo. Depois que desliguei, retornei a ligação para saber se era verdade mesmo (risos). A chuteira não posso usar porque é número 41 (ele usa 39). A camisa já está em um quadro em casa - contou.

Apesar de não querer comparações com o Pé-de-Anjo e da idolatraria por Robinho, Marcelinho espera mesmo é por uma oportunidade de jogar ao lado de Ronaldo Fenômeno. Para isso acontecer, precisa de um bom desempenho na competição e ganhar a confiança do técnico Mano Menezes.

- É complicado subir para o profissional agora porque o Mano tem muitas opções. Mas estou aguardando minha chance. Estar perto do Ronaldo seria maravilhoso. Vamos em busca do título da Copa São Paulo para que isso fique mais perto de acontecer - completou o atacante, que atuou na base do Timão ao lado de Dentinho e Lulinha, agora nos profissionais.

Fonte: Globo

Nenhum comentário: