terça-feira, 6 de janeiro de 2009

Niemeyer fará reforma do Planalto por R$ 1 mi

LETÍCIA SANDER
da Folha de S.Paulo, em Brasília O escritório do arquiteto Oscar Niemeyer receberá do governo cerca de R$ 1 milhão para comandar a reforma do Palácio do Planalto, prevista para ter início no primeiro semestre de 2008. O valor foi acertado nos últimos dias e constará no contrato que deverá ser assinado na próxima semana. Niemeyer é autor do projeto de Brasília. O acerto prevê a participação direta do arquiteto –que completa cem anos no dia 15 de dezembro– no empreendimento. De acordo com o contrato, o escritório de Niemeyer fará o projeto arquitetônico da reforma e coordenará a parte de climatização, eletricidade e segurança, que será operacionalizada por outras empresas, escolhidas por pregão eletrônico. O valor não inclui os gastos com as obras. O custo total da reforma só será estimado depois de o projeto de Niemeyer for concluído. As empresas que farão as obras serão escolhidas por meio de licitação. Para se ter uma idéia, na reforma da residência oficial da Presidência, o Palácio da Alvorada, foram consumidos R$ 18,4 milhões. A diferença é que, no caso do Alvorada, o valor foi assumido por 20 empresas, algumas delas doadoras da campanha de Lula em 2006. Agora, a reforma do Planalto será paga pelos cofres públicos. As negociações entre o governo e o escritório do arquiteto se prolongaram por semanas, porque havia divergências sobre o preço a ser pago pelo projeto, até se chegar a este valor, próximo de R$ 1 milhão. A reforma do Planalto é idealizada por Lula desde o primeiro mandato e há cerca de dois meses começou a sair do papel. O objetivo, segundo o governo, é fazer uma restauração para preservar e resgatar as características originais do prédio, além de modernizar instalações elétricas e hidráulicas. Localizado na Praça dos Três Poderes, o Palácio do Planalto tem quatro andares e quatro anexos, e uma área de 36 mil metros quadrados. O gabinete do presidente fica no terceiro andar. Está entre os prédios mais visitados por turistas, sobretudo nos finais de semana. Por conta da reforma, Lula e os demais ministros com gabinete no Planalto terão de despachar em outro lugar da capital federal. Até agora, o mais provável é que seja escolhido o Palácio do Buriti, sede da administração do Distrito Federal. Uma equipe da Casa Civil já visitou o local. O único problema levantado foi a segurança. Além de Lula, despacham no Planalto os ministros Franklin Martins (Comunicação Social), Dilma Rousseff (Casa Civil), Luiz Dulci (Secretaria-Geral da Presidência) e José Múcio (Relações Institucionais), e suas respectivas equipes.

Nenhum comentário: