quinta-feira, 8 de janeiro de 2009

Inspeção veicular para veículos leves inibe retirada do catalisador

A Inspeção Veicular, que passa a ser obrigatória para automóveis e motocicletas a partir de janeiro de 2009, deverá contribuir para o fim de uma prática ilegal: a retirada do catalisador automotivo.

A partir de 2009, todos os veículos a diesel, gasolina, álcool e gás natural bem como motocicletas, deverão passar pela Inspeção Técnica Veicular (ITV).

O veículo que não realizar a inspeção, não poderá ser licenciado no ano seguinte e está sujeito a multa no valor de R$ 550,00.

Em 2008, a inspeção é obrigatória apenas para os veículos movidos a diesel e caminhões. A ITV é uma necessidade imediata para melhorar a qualidade de vida na cidade de São Paulo. Está prevista por lei, e todos os procedimentos adotados seguem resoluções e legislações específicas, além de ser realizada por profissionais treinados.

A exigência da inspeção para veículos leves fará com que os motoristas tenham que manter a originalidade do sistema de exaustão para serem aprovados na inspeção veicular.

A manutenção preventiva é o grande segredo de economia para o bolso dos proprietários dos veículos. Um exemplo disso é a troca do catalisador inoperante. O catalisador com problemas de funcionamento aumenta em até 10% o consumo de combustível.

Conforme estudo do Sindicato de Indústria de Reparação de Veículos e Acessórios do Estado de São Paulo (Sindirepa), o catalisador inoperante, por conta de quebra, derretimento ou entupimento, aumenta o consumo de combustível, que em um ano pode chegar a mais de R$ 500,00.

O programa de inspeção veicular foi criado em maio. Já é obrigatório para carros movidos a diesel e caminhões. Ninguém paga nada para fazer a inspeção. Se o veículo for aprovado, ganha um comprovante e está liberado para o licenciamento do ano seguinte. Se for reprovado, tem de voltar depois de 30 dias.

Quando trocar o catalisador

Um catalisador genuíno, que vem no veículo novo, tem durabilidade mínima de 80 mil quilômetros. Trincas, quebras, derretimento e entupimento da cerâmica também são sinais para a troca imediata, além da não conversão dos gases.

Os catalisadores para o mercado de reposição têm durabilidade mínima de 40 mil quilômetros conforme regulamentação do CONAMA. A verificação deve ser feita por profissionais especializados em oficinas e centros automotivos.

Quando trocar o escapamento

O escapamento deve ser substituído quando o proprietário notar alterações no nível de ruído do veículo, caracterizado por sopros de gases, chocalhos no catalisador, som estridente, ressonâncias ao trocar marchas, entre outras.

É recomendável checar o sistema de escape quando o motorista perceber que o veículo está com baixo rendimento (amarrado), ou com excesso de consumo de combustível.

Fonte: Terra

Nenhum comentário: