quarta-feira, 14 de janeiro de 2009

[DVD] Lancamentos de dvd - Promessas de um Cara de Pau


SINOPSE
Eleição presidencial americana deve ser decidida por um único eleitor.

COMENTÁRIOS
Pode haver título mais infeliz e errado do que este? Indica que é uma comédia, mas dá uma idéia de baixaria e mau gosto, algo que o filme nunca pretende ser. Na verdade, se trata de uma sátira política, certamente o mais ingrato e difícil de todos os gêneros. Tradicionalmente, filmes sobre política não fazem sucesso (e este aqui foi um desastre de bilheteria nos EUA), e sátira exige sempre um público e informado para entender as refêrencias e citações.

Fracasso nos cinemas aqui e lá fora, talvez por culpa do título e do fato de seu astro e produtor Kevin Costner estar com o prestígio em baixa. O protagonista talvez pudesse ser alguém mais querido e simpático, como um Jim Carrey (embora eu tenha passado o tempo todo pensando como seria o filme caso fosse estrelado por Mazzaropi; tenho certeza de que daria mais certo).

O roteiro tem boas idéias, brincando com a mania americana de ignorar eleições e com esse descaso acabar provocando fatos como a eleição de George Bush. Agora é a história de uma menina (a boa Madeline Carroll), que força seu pai (Kevin Costner) a votar, mas ele é um preguiçoso chamado Bud Johnson, que foi despedido da empresa onde embalava ovos. Como bebe demais, acaba perdendo a hora e não consegue votar. Mas a menina vai votar no lugar dele. Quando por uma coincidência, há um empate entre os dois candidatos, esse único voto é que irá decidir a eleição.

Ou seja, é uma fabula que ilustra a importância de todos votarem, o "contrato social", como diz a menina, e o ridículo de um sistema onde se mente para convencer os eleitores com o maior descaramento. Duas figuras importantes na trama são os chefes de campanha, que fazem comerciais completamente opostos às ideias dos partidos e dos presidenciáveis porque acham que assim estão agradando o único eleitor (ponto alto do filme é o comercial com Dennis Hopper falando contra o aborto e contra a chegada de imigrantes mexicanos, ou o republicano Kelsey Grammer se manifestando a favor do casamento gay).

Mas o filme não é construído como uma única brincadeira ou comédia de costumes. Ele dá ao luxo também de ter um final à Frank Capra, com algumas reviravoltas e sacadas bem divertidas. Não muito verossímil, mas não importa, porque se trata de uma fabula que tenta nos fazer rir de coisas sérias. E quem sabe pensar um pouquinho. Ah, por sinal Kevin Costner está muito envelhecido, mas tem seu melhor momento em muitos anos, talvez em toda sua carreira. Que pena que mais pessoas não estejam vendo o filme. Porque ele é inteligente e muito oportuno.

Título original : Swing Vote (EUA, 2008)
Diretor: Joshua Michael Stern
Elenco: Kevin Costner, Nathan Lane, Kelsey Grammer, Madeline Carroll, Paula Patton, Dennis Hopper, Stanley Tucci, George Lopez, Judge Reinhold, Willie Nelson, Mare Winnigham
Extras: slide Show, trailers
Idioma: português, espanhol, inglês, francês
Legendas: português, espanhol, inglês, francês
Gênero: comédia
Duração: 119 min. Cor.
Distribuidora: Imagem

Nenhum comentário: