quinta-feira, 4 de dezembro de 2008

[Novelas] A Usurpadora

La usurpadora (no Brasil: A Usurpadora) é uma telenovela mexicana. Produzida pela emissora Televisa e exibida no Brasil pelo SBT de 22 de junho a 9 de novembro de 1999, em 119 capítulos, às 20h10 (passando depois para as 20h15), e reprisada em 2000, 2005 e 2007. Foi escrita por Inés Rodena, e produzida por Salvador Mejía Alejandre.

Duas mulheres idênticas na aparência e distintas em sentimentos e personalidade, se encontraram por casualidade e participam de um terrível engano.

Paula Martins é uma mulher pobre e humilde, que tem duas filhas gêmeas, Paola e Paulina, porém, devido a sua situação lástimavel de miséria em que vive, abandona Paola, que no futuro é adotada por uma família rica. Já Paulina cresce em presença da mãe, enfrentando grandes dificuldades na vida devido a pobreza em que vivem.

Paulina cresce e se torna uma moça humilde e de bom caráter, que namora o ambicioso Osvaldo, revesando o seu tempo também para com os cuidados a sua mãe enferma, que está prestes a morrer devido a sua doença.

Enquanto isso, sua irmã gêmea, Paola, viveu de maneira oposta a de Paulina, priorizando a riqueza acima de tudo e de todos, se tornando assim uma mulher ambiciosa, fria e calculista.

Paola é casada com Carlos Daniel Bracho, um milionário quase fálido que está em seu segundo casamento e possui dois filhos: a esperta e encantadora Lizete e o rebelde e problemático Carlinhos.

Ardilosa, Paola também mantém um caso extraconjugal com o cunhado, o inescrupuloso Willy, casado com a atormentada e fanática Estephanie Bracho, uma mulher amargurada e ressentida com a vida, que veste-se de forma horrível.

O destino, no entanto, coloca essas duas irmãs frente-a-frente novamente e Paulina têm sua vida totalmente modificada por Paola.

Paola frustrada e cansada de viver com sua família da qual detesta a todos os membros da mesma, resolve viajar para se divertir com um de seus amantes, e nessa viagem encontra Paulina em um toalete de senhoras.

Ela vê na jovem uma oportunidade perfeita de se ver livre de sua família, então planeja uma usurpação - ela propõe a Paulina que se passe por ela durante um ano na mansão da família de seu esposo.

Para obrigar a moça a aceitar esse seu diabólico plano, arma-lhe uma armadilha para a mesma, acusando-a de lhe ter roubado uma jóia sua e se ela não aceitar se passar por ela, a colocará atrás das grades definitivamente.

Paulina sem alternativa e com medo de ir para a prisão, aceita se passar por Paola e durante a estada de Paulina na mansão da família Bracho, ela aprende a ser como Paola, se tornando uma mulher fina e elegante.

Sem ser reconhecida por sua aparência completamente idêntica à de Paola Bracho, ela se vê entre uma familia desestruturada pela mesma e percebe que há pessoas que precisam de sua grande dedicação naquele lar.

Paulina, então, começará a mudar a vida da família Bracho, se tornando um anjo na vida de cada qual que necessite de sua presença e de suas palavras confortadoras, conseguindo contribuir e modificar positivamente o destino de todos os que lhe cruzam o caminho, mas não sem antes sofrer e pagar caro por todos os erros cometidos por Paola no passado.

Quando Paulina finalmente encontra sua felicidade ao lado de Carlos Daniel e de sua família, Paola volta disposta a lutar pelo seu antigo lugar.


Índice

[esconder]

Elenco

Crianças

Participações especiais

Elenco de vozes

Personagens principais

  • Paola Bracho (Gabriela Spanic) – É bonita, elegante e decidida, porém má e manipuladora. Seu nível cultural não é elevado, mas tem uma aparência distinta. Ao conhecer Paulina vê nela uma maneira de concluir seus planos e criar uma nova vida para si mesma. É ela a grande vilã da história.


  • Paulina Martins (Gabriela Spanic) - Uma jovem bondosa que é chantageada pelo falso roubo de uma pulseira, e por isso aceita participar da trama de Paola. É humilde e tem uma situação financeira difícil. Passa por uma grande transformação para ocupar o lugar de Paola. Apaixona-se por Carlos Daniel, enfrentará a fúria de Estephanie, a rivalidade com Leda e principalmente: o ódio de Paola Bracho.


  • Carlos Daniel Bracho (Fernando Colunga) – Tem uma personalidade fraca e em algumas ocasiões é dominado por sua esposa Paola. É pai de dois filhos o intragável Carlinhos e a encantadora Lizete. É irmão de Rodrigo e Estephanie. Apaixona-se por Paulina. É primo de Leda.


  • Vovó Piedade Bracho (Libertad Lamarque) - Avó de Carlos Daniel, é alcoólatra e é ajudada por Paulina para se livrar da bebida. No fundo, ainda é uma mulher de pulso firme e pronta para tomar as rédeas da família. É viúva, adora estar em companhia da fiel governanta Adelina. É avó de Rodrigo, Carlos Daniel e Estephanie.


  • Estephanie Bracho (Chantal Andere) – Irmã mais nova de Carlos Daniel e Rodrigo. Tem muitos problemas e complexos. Sua amargura a leva a fazer maldades. É descuidada na aparência e se veste de maneira antiquada. Odeia Paola, portanto, odeia Paulina. Casada com Willy, com quem a maltrata constantemente.


  • Willy Monteiro (Juan Pablo Gamboa) - Marido interesseiro de Estephanie. Teve um caso com Paola e é infiel a esposa o tempo todo. Assim como Paola, ele também odeia a família Bracho.


  • Leda Duran Bracho (Dominika Paleta) – Prima distante de Carlos Daniel, moça jovem e bonita que interfere no amor de Carlos Daniel e Paola. Embora tenha problemas financeiros, vive uma vida de aparências alimentando sua vaidade com valores materiais. É apaixonada por Carlos Daniel o que a faz odiar Paulina.

Dublagem brasileira

Ficha técnica

  • História original de: Inés Rodena
  • Adaptação: Carlos Romero
  • Edição literária: Dolores Ortega
  • Cenografia: Juan Antonio Sagredo
  • Ambientação: Norma Brena
  • Figurino: Martha Leticia Rivera e Francisco Javier Gonzalez
  • Música original: "La Usurpadora" En vivo, Pandora
  • Música composta por: José Antonio "Potro" Farias
  • Chefes de produção: Sara Smith e Manuel Esparza
  • Editores: Juan Franco e Marco A. Rocha
  • Supervisão de edição: Adrián Frutos Maza
  • Direção de câmeras: Jesús Najera e Ernesto Arreola
  • Direção na Europa: Gabriel Vásquez Búlman
  • Produtora associada: Nathalie Lartilleux
  • Direção de cenas: Beatriz Sheridan
  • Produtor: Salvador Mejía Alejandre

Curiosidades

  • A Usurpadora foi uma das telenovelas mexicanas de maior sucesso no Brasil. O seu sucesso é comparável ao das telenovelas de Thalía. Foi uma das melhores, se não a melhor novela mexicana do SBT.
  • No início de janeiro de 2000, dando início à sessão Tarde de Amor, o SBT apresentou dois capítulos especiais chamado de "Más Allá de La Usurpadora", nos quais era mostrado o que aconteceu com Paulina e Carlos Daniel um ano depois de se casarem (o que ocorreu no fim da telenovela), com a presença maligna da empregada Raquel, vivida por Yadhira Carrillo que também atuou na novela "Sigo Te Amando" exibida também pela emissora em 2000.
  • O ator Enrique Lizalde, que teve uma pequena atuação em "A Usurpadora", também atuou na novela "Chispita", exibida e reprisada também pelo SBT.
  • Para comemorar o sucesso de audiência de "A Usurpadora", em 1999, o SBT colocou no ar, durante o intervalo dos programas da emissora, uma vinheta promocional da novela. A vinheta, cantada, dizia: "Quem é ela / Anjo ou demônio / Eu nem sei / Se é pesadelo ou sonho / Amizades, intrigas, falsidades / Muito amor e desamor / A Usurpadora me conquistou".
  • A telenovela foi vendida para 120 países e traduzida para mais de 30 idiomas.
  • O SBT reapresentou a telenovela em três ocasiões: na citada Tarde de Amor, menos de um ano depois do final noturno; às 15h, em 2005; e às 17h, em 2007.
  • Na reprise de 2005 e de 2007 não foram exibidos os capítulos especiais que mostram a família Bracho um ano depois do casamento de Paulina e Carlos Daniel.
  • O nome da personagem Gema foi aportuguesado na dublagem para Leda, e numa cena em que Estephanie trabalha na fábrica, dá para ver o letreiro na mesa dela: "Estefania Bracho". O mesmo ocorreu com as personagens Chabela (Isabel), Tamales (Tamara) e Fidelina (Adelina).
  • A novela teve várias aberturas no Brasil, uma com a música "Sonho Lindo" cantada por Paulo Ricardo, a outra original com a música "La Usurpadora" com Pandora e a abertura do especial "Mais além da Usurpadora" cantada por Fernando Colunga. Em 2005 e em 2007, a emissora colocou o tema de abertura da Pandora, e não de Paulo Ricardo.
  • Foi a penúltima telenovela da atriz Libertad Lamarque que veio a falecer enquanto esteve na novela infantil Carinha de Anjo. A atriz faleceu no dia 12 de Dezembro de 2000 aos 92 anos de idade.
  • Foi reapresentada de 25 de junho a 13 de novembro de 2007, às 16h45min (repassada para as 17h, mais tarde às 17h10min e voltando para as 17h, com um intervalo comercial a mais e um cold open de mais de seis minutos em média). Sua última reprise contou com 102 capítulos, e na segunda, dia 12, entrou na grade de programação do SBT a terceira reprise de Maria do Bairro, protagonizada por Thalia. Nos dias 12 e 13 a trama entrou ao ar às 17h30min, pois as 17h o horário estava reservado para a reestréia de Maria do Bairro.
  • Destaque para o fim da personagem Estephanie: ela terminou no manicômio, não sabia quem era e pensou que era uma santa. No especial, ela se recupera.
  • Paola Bracho foi uma mulher que nem a morte quis devido às suas vilanias: resistiu a um acidente de carro, a um derrame cerebral e a outro acidente de carro. Porém, neste último, a moça morreu. Foi a maior vilã que Gabriela Spanic fez em sua carreira.
  • Os executivos da Televisa pensaram inicialmente em Thalía para interpretar as gêmeas, que acabou recusando o convite. Em 1998, Gabriela já era um rosto conhecido na Venezuela, e os produtores de "A Usurpadora" a convidaram para ir até o México realizar testes. Salvador Mejía, um dos produtores, encantou-se com a moça e lhe deu os papéis principais.
  • Segundo a Revista Minha Novela de novembro de 1999, o último capítulo de "A Usurpadora" alcançou 27 pontos de média no Ibope, uma das mais altas audiências atingidas com a exibição do final de uma novela mexicana no Brasil. Durante toda a exibição, "A Usurpadora" chamou a atenção da mídia devido à excelente audiência de todas as noites, que ficava entre 20 e 25 pontos.[carece de fontes?]
  • Em 1999, o SBT exibia um compacto com os melhores momentos da semana de "A Usurpadora" aos sábados, das 16h às 18h.
  • Até mesmo o diretor Jayme Monjardim afirmou, em 1999, a um jornal carioca, que a telenovela "A Usurpadora" era um grande êxito. A comprovação pode ser conferida no YouTube, no vídeo em que Gabriela Spanic compareceu ao programa de Hebe Camargo (1999).
  • Marcou a volta da grande atriz Libertad Lamarque no papel da batalhadora Vovó Piedade.
  • Uma das grandes atuações da novela foi a de Chantal Andere, impecável na pele da atormentada Estephanie Bracho, uma mulher que refugiava-se em uma religiosidade doentia para esconder seus verdadeiros sentimentos, e agüentar a infidelidade explícita de Willy, seu marido. Chantal teve em Estephanie seu melhor papel em novelas, mas foi injustiçada nos prêmios TVyNovelas, ao ser ignorada completamente pela crítica.
  • O papel das gêmeas Paola e Paulina, após a recusa de Thalía, foi oferecido a Daniela Spanic (irmã gêmea de Gabriela), onde cada uma viveria uma personagem distinta. Mas, devido à pouca experiência dela em novelas, o papel ficou para Gabriela somente.
  • Em um chat promovido pelo Portal Esmas, do México, em 2001, Gabriela Spanic respondeu a algumas perguntas dos fãs e disse que ficou muito emocionada ao ver a novela dublada no Brasil, na Croácia e na Indonésia.
  • Em entrevista concedida à Revista Contigo!, em 1999, Gabriela Spanic respondeu que acha as telenovelas brasileiras ótimas, pelo fato de apresentarem locações maravilhosas. Ela disse que as telenovelas que mais a agradaram foram "Pantanal" e "O Rei do Gado", transmitidas tamém na Venezuela.
  • Nos dias 02 e 03 de Junho foram reprisados os dois capítulos especiais da novela na RGT ás 14h35min.
  • Em breve a novela será reprisada completa na RGT, incluindo os dois capítulos especiais da mesma.

Nenhum comentário: